marcos_montes

Neste mês (16) o presidente-executivo da Abinpet, José Edson Galvão de França, esteve presente em audiência com o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes.

Na pauta do encontro estiveram temas como maior autonomia do setor para estabelecer diretrizes produtivas e de mercado, e um Projeto de Lei para estreitar os laços entre o Setor Pet e a cadeira produtiva agropecuária. O encontro aconteceu em Brasília, na sede do MAPA.

O setor produtivo pet é parte importante do agronegócio. Em 2018, o faturamento da Indústria Pet chegou aos R$ 20,3 bilhões. Quase 75% do faturamento é proveniente dos produtos para nutrição animal, cuja composição é 95% agropecuária, com ingredientes como milho, soja, arroz, trigo e carnes de aves, bovinos e peixes.

shutterstock_294935921

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) publicou na última semana a Instrução Normativa n°48, que estabelece as regras sobre “recolhimento, transporte, processamento e destinação de animais mortos e resíduos da produção pecuária como alternativa para sua eliminação nos estabelecimentos rurais”. As mudanças dizem respeito a estabelecimentos definidos como unidades de transformação, e o processamento de produtos como couros, carnes, gorduras, farinhas, ossos, etc.

São o tipo de unidade que “processa exclusivamente animais mortos e resíduos da produção pecuária, com segurança sanitária, destinado somente ao preparo de produtos não utilizados na alimentação humana ou animal”. Os produtos gerados no processo de transformação podem ser utilizados como insumos na indústria química, de adubos, biodiesel, higiene e limpeza, entre outros. É permitida exportação para consumo humano ou animal desde que atendidas as exigências estabelecidas pelo país de destino.

A Abinpet avalia positiva a medida, pois os procedimentos exigidos pelo governo federal garantem padrões importantes para a segurança sanitária. “Esse tipo de garantia é importante para a indústria pet, pois ajuda a abrir portas para o alimento completo industrializado brasileiro no exterior, e reforça o comprometimento da nossa indústria com o bem-estar animal no Brasil”, comenta o presidente-executivo da entidade, José Edson Galvão de França.

 

conselho

Abinpet  realizou sua Assembleia Geral no último dia 10 de outubro.

Durante a reunião com seus associados, foram apresentadas ações de algumas áreas da entidade (unidades Técnico Regulatório; Relações Institucionais e Jurídico; Financeiro Administrativo), e eleição e posse do novo Conselho Deliberativo (biênio 2020/2021).

Agradecemos o empenho e dedicação de Fernando Cunto (Pro Line), que ocupou o cargo de presidente do Conselho nos últimos quatro anos, e damos boas-vindas ao novo eleito, Bernard Pouloux (Luopet).

adidos

A equipe da Abinpet encontrou-se com adidos agrícolas brasileiros durante a primeira reunião com o grupo, organizada pela Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.

Durante o evento, a equipe apresentou dados e objetivos da entidade, com o intuito de ampliar as atividades de empresas associadas em países que são estratégicos para o mercado pet brasileiro.

Parte do corpo diplomático do Brasil, os adidos estreitam relacionamento com outras entidades comerciais nos locais em que atuam, e acompanham a agenda de organismos internacionais.

O encontro também recebeu o secretário-adjunto de Comércio e Relações Internacionais Flávio Bettarello.