Pequenos mamíferos podem ser utilizados na terapia assistida por animais

Pequenos mamíferos podem ser utilizados na terapia assistida por animais

As vantagens incluem a mobilidade e os custos com cuidados e alimentação

 

Para a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), a convivência com os animais de estimação é fundamental para o bem-estar e desenvolvimento do ser humano. Um exemplo disso é a terapia assistida por animais (TAA), que tem mostrado resultados excelentes em variados casos médicos, que incluem autismo, Alzheimer, câncer, Parkinson e depressão. Trata-se de uma prática com objetivos claros e dirigida com critérios estabelecidos, sendo sempre coordenada e desempenhada por profissionais da área médica, para promover a saúde física, social e emocional do paciente. A TAA é mais comumente realizada com o auxílio de cães e cavalos, mas os pequenos mamíferos também podem fazer parte desse tipo de terapia. Entre as vantagens em relação aos animais maiores, estão a mobilidade mais fácil e os menores custos com cuidados e alimentação.

enfant et son lapereau

Os pequenos mamíferos mais utilizados na TAA são o hamster, o porquinho-da-índia e o coelho, que tomam parte de terapias individuais e de grupo, além de visitas a escolas, em trabalhos socioeducativos. O coelho, especificamente, é bastante usado com crianças, especialmente aquelas que têm hiperatividade. Por ser relativamente calmo, esse pet ajuda o paciente a focalizar na atenção e estimular o zelo e a noção de responsabilidade. As atividades realizadas com o coelho incluem corridas, trilhas e a construção de obstáculos com cores.

A terapia com pequenos mamíferos não é uma exclusividade das crianças, e os adultos também têm muitas vantagens nas atividades com esses pets. O foco, no entanto, é bastante distinto, e as atividades envolvem dinâmicas de grupo, com a exploração de situações dirigidas com afeto e contato.