Paraná, São Paulo e Minas Gerais são os principais produtores de pet food em 2014

Cerca de 1,6 milhão de tonelada de alimento para animais de estimação deve ser produzida nesses estados

Um estudo da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) revela que a produção de pet food este ano deve chegar a 2,4 milhões de toneladas, o que representará um aumento de 4,5% em relação a 2013.

A estimativa é que mais da metade desse montante venha do sul e do sudeste, dos estados Paraná, São Paulo e Minas Gerais. O primeiro deverá atingir a marca de 700 mil toneladas produzidas; o segundo, 600 mil e o terceiro, 300 mil. Após o ano de 2011, o Paraná se consolidou como o principal estado produtor de pet food no país, ultrapassando São Paulo. Os incentivos fiscais são um dos principais fatores que possibilitaram o estado assumir tal posto.

No primeiro trimestre deste ano, foram fabricadas mais de 500 mil toneladas desse insumo. Os alimentos para cães representam 91,1% de participação do total produzido, o que significa um montante de mais de 470 mil toneladas de ração só para caninos. Já os alimentos para felinos ocuparam o segundo lugar no segmento de pet food, e superaram as 40 mil toneladas produzidas, o equivalente a 8,6% do total do período.

Em 2013, o setor produziu 2,3 milhões de toneladas, sendo 90,7% desse total em alimentos para cães e 8,7% para gatos. O desempenho do segmento canino foi superior, com mais de 2 milhões de toneladas fabricadas. Para os felinos, foram produzidas mais de 200 mil toneladas de alimentos. No entanto, sabe-se que a alta carga tributária aplicada em todo o território nacional, que é de 49,9%, prejudica essa indústria e também pesa no bolso da população, pois o consumo poderia crescer em até 50% se houvesse uma redução significativa dos tributos.

Sobre a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação

A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) representa a indústria Pet. A entidade congrega os segmentos Pet Food (alimento), Pet Vet (medicamentos veterinários) e Pet Care (equipamentos, acessórios e produtos para higiene e beleza).

Além disso, a Abinpet tem os métodos mais confiáveis de compilação dos dados do setor e é referência na promoção de ações que tenham por finalidade fortalecer essa cadeia. A projeção é que este ano o faturamento atinja os R$ 16,5 bilhões, um crescimento de 8,8% em relação ao ano passado. É cada vez maior a participação desse setor na economia nacional e, por isso, é parte relevante do agronegócio: até o fim de 2014, estima-se que cerca de 66,9% do faturamento venha dos produtos para nutrição animal, cuja composição é 95% agropecuária, com elementos como milho, soja, arroz, trigo e carnes de aves, bovinos e peixes.

Todos os produtos da indústria de alimentos e medicamentos veterinários são  registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, na Secretaria de Defesa Agropecuária (DFIP e DPOA) e são fiscalizados pelos DFIP, DPOA e Viagiagro.

Para mais informações, acesse: www.abinpet.org.br

Confira o novo canal do Facebook: www.facebook.com/abinpet