Descarte correto do lixo ajuda o meio ambiente e a saúde do seu pet

Descarte correto do lixo ajuda o meio ambiente e a saúde do seu pet

Separar o resíduo “seco” do “úmido” e acondicioná-los de forma correta contribui nos processos de reciclagem e evita que acidentes aconteçam com pets e coletores

 

A questão é ambiental mas também é de saúde e prevenção. Acondicionar e separar corretamente o lixo da sua casa é uma maneira de evitar acidentes, sobretudo por conta dos objetos perfurantes ou cortantes que vão junto com o descarte. E pensando no seu bichinho de estimação, colocar o recipiente com o lixo em um lugar seguro é a maneira mais indicada para preservar a integridade física deles, já que cães e gatos, por exemplo, podem revirá-lo.

O descarte correto dos resíduos sólidos também ajuda os coletores do serviço de limpeza urbana a não terem cortes ou perfurações, uma vez que, na maioria das vezes, eles não conseguem ver o conteúdo dos sacos de lixo quando os manuseiam. A sugestão, portanto, é enrolar em jornais cacos de vidro, pregos, entre outros objetos que podem ferir, e identificar os embrulhos. Assim, não haverá perigo a quem vier a manuseá-los.

Por se tratar de um assunto que diz respeito a todos, sobretudo por conta da enorme quantidade de embalagens descartadas todos os dias, incluindo a de produtos para pets, a legislação existente estabelece as responsabilidades e indica caminhos. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela Lei n. 12.305 de 02 de agosto de 2010, estabelece parâmetros referentes à responsabilidade de indústrias, varejo, consumidores e prefeituras na produção e destinação de resíduos.

Comprometidos com as questões ambientais e sociais e em atendimento à legislação, 22 empresas do setor pet, por meio da Abinpet, mobilizaram-se para criar o Comitê PNRS Pet, responsável por financiar o projeto PNRS Pet, estruturado em acordo com os critérios estipulados pela Lei. Este Comitê está focado em mudar os hábitos dos consumidores e torná-los mais informados em relação ao descarte de lixo, além de retornar para a cadeia de reciclagem o percentual estipulado pelo acordo setorial referente à Logística Reversa de embalagens pós-consumo.

O objetivo das empresas do setor pet que aderiram ao projeto é compartilhar informações sobre as melhores formas de descarte de resíduos e criar mecanismos de retorno de recicláveis para a cadeia produtiva por meio da parceria com cooperativas de catadores. Os métodos incluem separação e destinação dos resíduos, informações sobre a importância da reciclagem e os impactos sociais e ambientais de gerir seu resíduo de maneira correta e responsável.

De acordo com José Edson Galvão de França, presidente executivo da entidade, é muito importante que o consumidor final atente para o descarte de resíduos. “É fundamental separar os ‘secos’ (plásticos, papel, vidros, madeira, metais) dos ‘úmidos’ (restos de comida e outros descartes orgânicos).  As embalagens e materiais secos devem ser enxaguados ao serem separados”, explica.

Para mais informações, acesse: http://abinpet.org.br/pnrs-pet-politica-nacional-de-residuos-solidos/.